sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Aprilynne Pike anuncia título do 4º e último livro

A autora da série Wings anunciou recentemente no seu blogue o título do 4º e último volume. A derradeira aventura de Laurel chamar-se-á DESTINED. A escritora conta que o livro ainda não tem capa, mas tem a esperança de que já em outubro ou novembro esteja pronta.
Por fim, Aprilynne termina o post contando que já terminou o rascunho do primeiro livro de uma nova série que vai começar a publicar.

DESTINED está previsto para meados de 2012, nos EUA. Ainda não tem data de publicação em Portugal.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Crítica de Leitor: «Feitiços»

«Feitiços é o segundo volume da tetralogia de Aprylinne Pike sobre o mundo das fadas. Uma série que contradiz tudo aquilo que pensamos saber sobre fadas, elas não só não têm asas mas são plantas, e das quais floresce anualmente uma flor. Nesta sequela de Wings – O Beijo dos Elfos um ano passou desde que a nossa protagonista, Laurel descobriu que era uma fada. Apesar de aceitar completamente quem e o que é, recusa-se a virar costas à vida que sempre conheceu entre os humanos, a vida com os seus pais e amigos. Isto causa alguns problemas em Avalon uma vez que Laurel precisa de aprender o que significa ser uma verdadeira fada.
Uma história envolvente em parte devido à miscelânea de diferentes locais onde a acção decorre, O livro pode ser basicamente dividido em duas partes, a primeira mais centrada para descrições e explicações de todo este universo, a apreensão do mito das fadas, segundo a autora, e a segunda parte mais voltada para a acção e a sucessão de peripécias.
Com a partida de Laurel para Avalon nesse Verão, vislumbramos mais a relação dela com Tamani e as vivências entre ambos antes da memória de Laurel ter sido apagada, bem como toda a história pessoal de Tamani, da família e infância deste.
Em relação ao volume anterior está presente um enriquecimento das descrições do mundo de Avalon, da vida na Academia e da presença das fadas no mundo deste tempos imemoriais (Eva, Sanzang, Scheherazade, Guinevere) bem como de toda mitologia e língua fádicas. A descrição bem rendilhada dos seus múltiplos locais que faz que nos sintamos verdadeiramente transportados até ele, bem como nos dá uma melhor compreensão da hierarquia e das classes de fadas, que também não dos deixa de transmitir um lado sombrio de segregação deste mundo. Algo que a autora parece explanar eximiamente uma vez que apresenta tanto os benefícios como os preconceitos no funcionamento da tal sociedade de castas.
Continua-se neste volume a manter o suspense e tensão das razões pelas quais Laurel foi enviada para viver entre os humanos mencionadas no primeiro volume, mas que continuam a não ser esclarecidas aqui. Todavia conseguimos perceber que ela tem um papel bem mais fulcral na história, até mesmo pela forma que os outros personagens interagem com ela.
Se no primeiro volume a química entre Laurel e David, um adolescente humano era bastante forte, ela quase que se desvanece aqui para dar lugar ao relacionamento entre ela e Tamani, uma fada masculina que fez tremendos sacrifícios pelo seu amor, é levado a um outro nível. Mesmo quando Laurel expressa dúvidas em relação a com quem estar é evidente que o laço que a liga a Tamani é bem mais forte do que com qualquer outra personagem, mas a sua idade e falta de experiência em termos de relações é bem evidente na incapacidade de lidar com a situação, mas no derradeiro capítulo ela toma a decisão entre os dois.
Todos os personagens que nós sabíamos que seriam principais, tendo em vista o volume anterior, mas que apesar de tudo apenas pareciam existir para servir a história de Laurel, aqui são colocados em relevo e ganham uma voz própria no enredo, mostrando com minúcia como os acontecimentos da história estão a atingir a vida de cada um deles. Este livro não só explora as relações entre Laurel, Tamani e David mas também a relação dela com os pais, que têm visões bem diferentes do facto da sua filha ser uma fada, que ambos argumentam e debatem, sendo quaisquer uma das perspectivas bem defendida, realista e ilustrativa da forma como alteram o seu comportamento para com a filha, quer de um modo positivo, quer de um modo negativo, perante alguém que se conhece toda a vida mas de repente muda.
Neste volume é apresentada uma nova personagem, Klea, uma caçadora de Trolls, os inimigos viscerais de Avalon, e em particular de Laurel que continua a ser perseguida por eles. Não nos é dito muito sobre Klea, mas, tendo em vista a forma como a autora trabalha os personagens, podemos imaginar que isso será alterado num dos próximos volumes.
Feitiço é visto como uma obra mais bem elaborada que o volume anterior. Há aspectos diferentes que mantêm a história cativante, diferentes ritmos e com maior introspecção sobre cada um dos personagens, embora toda a história de inimizade e conflito entre as Fadas e os Trolls não seja esclarecida aqui, mas aponta caminhos para os volumes subsequentes.»
Blogue Páginas com Memória

quarta-feira, 4 de maio de 2011

O terceiro livro já foi lançado nos EUA

O terceiro livro da série Wings, intitulado Illusions, acaba de ser lançado nos EUA.


No primeiro dia do último ano de Laurel no liceu, dois novos alunos chegam à sua escola. Tamani — com quem ela partilha uma ligação inegável — aparece como um estudante estrangeiro. Mais perturbador do que a sua chegada é a de outro estudante estrangeiro, uma rapariga chamada Yuki, que Laurel descobre ser uma fada, embora a nova colega não pareça fazer qualquer ideia sobre o que ela é realmente.
Laurel está determinada em compreender o que faz Yuki na sua escola, e que ligação poderá ela ter às ameaças feitas à sua família e a Avalon. Entretanto, Laurel luta por manter um equilíbrio entre o seu namorado David e Tamani, com quem partilha um passado ardente. Mas Laurel tem cada vez mais dificuldade em equilibrar os dois mundos. Quando a ameaça a Avalon cresce, a ilusão de Laurel de ter a situação sob controlo é abalada ao mesmo tempo que se vê confrontada com um perigo bem maior do que os trolls.

Illusions ainda não tem data prevista de lançamento para Portugal.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Nova crítica de leitor a «Feitiços»

«Este livro é diferente do anterior. Enquanto que o anterior se centra não só na descoberta da verdadeira natureza de Laurel, mas também no triângulo romântico entre ela, David e Tamani, este livro centra-se no mundo de Avalon, na natureza de Laurel, na apresentação das outras fadas e elfos e das suas habilidades, etc. Ou seja, este livro centra-se especialmente no mundo criado por Aprilynne Pike, dando-nos diversas informações úteis e muito interessantes sobre as várias classes sociais em Avalon, sobre a formação de Avalon e até há informações muito engraçadas relativas a, por exemplo, Eva e Shakespeare.
Relativamente à forma de escrever da autora, não há muita alteração em relação ao primeiro livro. O livro continua a ser fluído, com uma escrita muito simples, mas que nos consegue envolver facilmente e fazer-nos imaginar tudo o que estamos a ler, desde o grande mundo que a escritora imaginou às suas personagens.
Posso dizer, sem reservas, que este segundo volume da saga Wings é, tal como o primeiro, um bom livro de fantasia, que irá agradar de certeza absoluta a quem gostou do livro anterior! Aliás, até é capaz de agradar mais do que o anterior.»
Segredo dos Livros

segunda-feira, 21 de março de 2011

Crítica de Leitor: «Feitiços»

«Laurel é chamada para estudar em Avalon durante as férias para aprender a proteger-se caso mais problemas ocorram. Recorde-se que no primeiro volume, Wings (ler crítica), apesar de conseguir impedir que o portal das fadas caísse nas mãos erradas, a verdade é que os perigos não terminaram, e os Trolls apenas esperam uma nova oportunidade para atacar…
Um aspecto positivo neste livro é que, apesar de continuar a existir o triângulo amoroso entre Laurel, David e Tam, a história não incide essencialmente à sua volta. A autora dá mais ênfase ao desenvolvimento do mundo que criou. Temos menos acção, que é compensada pela quantidade de informação com que somos bombardeados, o que abona bastante em favor da autora. Além disso é também desenvolvida a relação entre Laurel e os pais, o que é interessante de se ver. Aparece uma personagem nova, bastante misteriosa, que nos vai deixar bastante curiosos.
O final do livro também está bastante bem pensado, pois acaba de uma forma mais “aberta”, o que nos leva a ficar a imaginar o que é que andarão o Tam e o Shar a tramar.
Resumindo, vê-se uma evolução da autora, não na maneira de escrever, mas naquilo em que ela quer para o desenvolvimento da sua saga.
A escrita da autora permanece essencialmente a mesma: envolvente e simples. O que para o tipo de história está em completo acordo, uma linguagem mais complexa poderia tornar-se infundada.
Feitiços é então, um livro que recomendo a quem esteja interessado em ler uma história simples para descontrair.»
Joana Cardoso, blogue Bela Lugosi Is Dead

segunda-feira, 14 de março de 2011

Feitiços nas livrarias

O livro Feitiços, segundo volume da série Wings, já está disponível numa livraria perto de si.

Será Laurel capaz de salvar a família e Avalon das garras dos trolls? E será que no meio de uma batalha intensa ela vai conseguir escolher entre David e Tamani?

É só ler Feitiços para descobrir...

sexta-feira, 4 de março de 2011

Disponível em pré-venda!

Aqui e aqui.

Disponível a partir de 11 de Março.

Perguntas e respostas

«Costuma fazer pesquisa quando escreve os seus livros ou deixa simplesmente as ideias fluirem da sua imaginação? Fez muita pesquisa para escrever O Beijo dos Elfos?

Um pouco dos dois. Normalmente deixo a ideia geral fluir, mas há muita pesquisa envolvida para as pequenas coisas. Costumo fazer a pesquisa enquanto escrevo, porque se não depois de escrever a parte inspirada pela imaginação ainda teria de voltar atrás para pesquisar. Se o fizer enquanto escrevo, fica mais equilibrado.
Para O Beijo dos Elfos procurei informações sobre a geografia e a topografia do Norte da Califórnia e de Crescent City, onde se passa a acção do livro. Também li muitos livros sobre fadas, além de lendas arturianas e histórias acerca de Avalon. Para a sequela fiz uma grande pesquisa sobre ervas e ecologia, bem como homeopatia e naturopatia.»

Daqui.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Algumas perguntas respondidas

«Quantas rejeições recebeu antes de a série Wings ser finalmente aceite por um agente literário?

Na verdade já tinha agente quando escrevi Wings. Jodi Reamer (a minha adorável e fabulosa agente!) começou por representar um romance fantástico que escrevi para adultos. Mas entre eu lhe ter enviado o manuscrito e ela ter finalmente aceite representar-me ainda recebi mais de 100 rejeições de outros agentes.»

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Já falta menos de 1 mês!

Feitiços está quase a chegar para encantar os leitores com a continuação da história de Laurel.
Para aguçar ainda mais a curiosidade, deixamos mais um pequeno excerto:

«[...]
Ela colocou os braços em redor dele e estreitou o abraço.
– Porque é que foi isso?
– Só por seres tu.
– Bem, não vou recusar um abraço – disse. O tom era descontraído, jovial, mas ele enlaçou o outro braço em redor dela com firmeza, quase desesperadamente, e, antes que ela se pudesse afastar, ele baixou o braço e de seguida apontou para baixo, para o carreiro. – Anda – anunciou. – É por aqui.
Laurel sentiu a boca secar. Chegara o momento.
Ao enfiar a mão no bolso, tacteou pelo que deveria ser a centésima vez o cartão gravado. Aparecera -lhe uma manhã na almofada em inícios de Maio, selado com cera e atado com uma fita prateada brilhante. A mensagem era curta – quatro breves linhas –, mas mudara tudo.

«Em resultado da natureza lastimosamente desadequada da sua actual educação, é chamada à Academia de Avalon. Por favor compareça no portal a meio da manhã do primeiro dia de Verão. A sua presença será necessária durante oito semanas.»

Lastimosamente desadequada. A mãe não achara grande piada à frase. Para dizer a verdade, a mãe, nos últimos tempos, não andava a achar grande piada a muito do que dizia respeito às fadas. Após a revelação de Laurel de que era uma fada, as coisas tinham corrido surpreendentemente bem de início. Os pais sempre souberam que havia algo de diferente na filha adoptiva. Por muito louca que a verdade tivesse acabado por se revelar – que Laurel era uma changeling, uma criança fada deixada a seu cuidado para herdar uma terra sagrada para as Fadas –, tinham-na aceitado com uma facilidade espantosa, pelo menos de início. A atitude do pai não mudara, mas, ao longo dos últimos meses, a mãe estava a ficar cada vez mais aterrada com a ideia de Laurel não ser humana. Deixara de falar nisso, depois recusara -se sequer a ouvir falar no assunto e as coisas tinham acabado por culminar um mês antes, quando Laurel recebera o convite. Bem, na verdade, era mais uma convocatória. Laurel precisou de usar muita argumentação – e de uma grande ajuda dos dotes persuasivos do pai – até a mãe aceitar deixá -la ir. Era como se a mãe achasse que ela fosse, de alguma forma, regressar ainda menos humana depois disso.
[...]»

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Capas alemãs de Wings

O segundo volume da série Wings também sairá em Março, na Alemanha.
Por curiosidade mostramos aqui as capas alemãs do primeiro e segundo livros.


segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Aprilynne divulga excerto do terceiro livro

Falta menos de 100 dias para o terceiro volume da série Wings, Illusions, ser editado nos EUA e para celebrar Aprilynne divulgou no seu blogue um pequeno excerto do livro como aperitivo. Para ler aqui.

Por cá o segundo livro, Feitiços, sai a 11 de Março.

.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Uma pequena espreitadela em «Feitiços»!

«Laurel deu consigo a apertar o pequeno anel que Tamani lhe oferecera um ano antes e que ela trazia num fio fino em redor do pescoço. Tinha tentado não pensar nele durante os últimos seis meses. «Tentado», admitiu a si mesma, «e falhado.» Obrigou-se a abrir os dedos e a soltar o anelzito e procurou fazer os braços menearem-se com naturalidade e confiança junto ao corpo à medida que caminhava em direcção à floresta.
Quando as sombras dos ramos das árvores se abateram sobre ela, um rasgo de verde e preto lançou-se de uma árvore e ergueu Laurel no ar. Ela gritou de medo, e depois de prazer.
– Sentiste saudades minhas? – perguntou Tamani, com o mesmo meio-sorriso arrebatador que a encantara da primeira vez que o encontrara. [...]»

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Q&A com a autora

1. A minha flor favorita é...
O Narciso Amarelo. É a minha flor preferida desde criança. São tão bonitas e alegres!


2. O meu acessório favorito é...
O colar de uma borboleta que uma amiga fez para mim. Recebo elogios sempre que o uso.


3. O meu petisco favorito é...
Chocolate. Qualquer coisa com chocolate. Nunca sobreviveria se fosse a Laurel.


4. A minha parte favorita do Outono é...
As folhas. A adoro quando começam a mudar de cor e ainda sou uma autêntica criança, porque adoro saltar para cima dos montes de folhas secas!


5. A minha cor favorita é...
O Roxo. Sou um bocado maluca por roxo! Adoro roxo em tudo!


6. A minha obsessão mais recente é...
Wicked, o musical! Apaixonei-me pelo musical no ano passado e ainda oiço algumas das músicas todos os dias!


7. O lugar que estou mais ansiosa por visitar é...
Paris, França! Adoro tudo o que é francês!


8. A melhor parte do meu dia é...
Quando os meus filhos vão para a cama e posso gozar uns momentos de sossego com o meu marido. Adoramos jogar jogos de mesa alemães à noite – normalmente é ele que ganha.


9. Aquilo que me faz sempre sorrir é...
Os meus filhos a saltarem no meu colo.


10. Quando faço uma pausa na escrita gosto de...
Ir ao Twitter!

A história de Aprilynne

Nascida em Salt Lake City, Utah (EUA), Aprilynne Pike cresceu em Phoenix, Arizona… até se mudar para Driggs, Idaho, na adolescência. Lá terminou o liceu (e tentou esquecer o frio, participando em actividades extracurriculares como no coro da escola, aula de debate, teatro, etc.) Ganhou uma bolsa para a Universidade, época em que trabalhou como empregada de mesa e fazia companhia a uma senhora de idade. Nos tempos livres participava em peças de teatro, entre as quais My Fair Lady, em que interpretou o papel de Eliza Doolittle.  Aprilynne completou o bacharelato em Escrita Criativa, em três anos.


Aprilynne conheceu o marido, Kenneth Pike, enquanto ele cumpria uma missão de dois anos para a LDS Church. Foi um caso genuíno, e de certa forma supreendente, de amor à primeira vista, mas Kenny acabou por ser transferido pouco depois de se conhecerem. Uma vez que o acesso ao telefone e ao e-mail era limitado, a forma que encontraram para manter o contacto e conhecerem-se melhor foi através de cartas, que trocaram durante 18 meses. Dois meses depois de Kenny terminar a sua missão, Aprilynne foi visitá-lo a casa dos seus pais em Phoenix, onde ele lhe pediu em casamento no primeiro encontro a sério dos dois. Casaram-se menos de 5 semanas depois.


Após terminar a licenciatura, Aprilynne viajou com o marido para Provo, Utah, onde Kenneth iniciou o curso de Filosofia. Aprilynne sustentou-os financeiramente enquanto ele estudava, dando formação a empregadas de mesa e, mais tarde, trabalhando como gerente de um restaurante. Após o nascimento do primeiro filho, Aprilynne deixou o seu emprego. A família mudou-se para casa de um idoso, para partilhar a casa e cuidar do senhor. Foi nessa altura que Aprilynne começou a escrever o seu primeiro livro e a trabalhar numa editora.  Chegou mesmo a tirar um curso de Edição na Brigham Young University.


Quando Kenneth acabou o curso, a família mudou-se para a casa dos seus pais, em Phoenix, Arizona, onde nasceu o segundo filho do casal. Kenny entretanto arranjou um emprego no sector tecnológico e Aprilynne tirou o certificado como doula. Trabalhou como voluntária, dando aulas de parto para adolescentes grávidas. Enquanto isso também desempenhou um papel numa produção comunitária de Oklahoma!, de Rodger e Hammerstein.


Aprilynne e a família regressaram a Provo, Utah, para que o marido pudesse frequentar o curso de Direito. A esta altura já Aprilynne tinha escrito três livros e contactado inúmeros agentes, à procura de quem a representasse. Seis meses depois, Jodi Reamer concordou em representar o trabalho de Aprilynne. Ao fim de algum tempo e ainda não tendo conseguido qualquer contrato com uma editora, Aprilynne resolveu começar a escrever o seu quarto livro – o seu primeiro romance para jovens adultos – tendo terminado o manuscrito apenas algumas semanas antes do nascimento do terceiro filho.


Desencorajada, após anos de trabalho e sem qualquer contrato assinado, numa manhã de Novembro de 2007, Aprilynne convenceu-se de que estava a perseguir um sonho ridículo. Incerta quanto ao futuro da família, Aprilynne voltou a trabalhar, o que deixava pouco tempo livre para a escrita. Contudo, Aprilynne decidiu que era uma luta escusada e que era altura de desistir.


Nesse mesmo dia, enquanto Aprilynne procurava um kit de doula, o telefone tocou. Era Jodi, a sua agente, a dizer-lhe que achara o manuscrito que escrevera para jovens adultos muito interessante. Numa questão de dias já tinham acordo com a chancela HarperTeen, da editora Harper Collins. Aprilynne Pike finalmente alcançava o seu sonho!


Depois de vários meses de revisões, o primeiro livro de Aprilynne, intitulado Wings, foi editado – poucas semanas após o marido licenciar-se em Direito. Wings estreou-se imediatamente na lista de best-sellers do New York Times, tendo subido ao primeiro lugar nas semanas seguintes. Enquanto fazia apresentações por todo o país e revia o segundo volume da série, Aprilynne regressou para o Arizona com a família, onde as suas aventuras continuam.

.

O 1.º Capítulo original de "O Beijo dos Elfos"

Aprilynne Pike publicou no seu site oficial o primeiro capítulo com que começava O Beijo dos Elfos (título original Wings), numa versão mais antiga, antes de reescrever e optar por começar a história de outra forma.
Fica aqui o link para quem tiver curiosidade em ler! (Atenção que poderá ter revelações importantes para quem não leu o livro).

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Críticas dos Leitores

«Quando peguei no livro "O Beijo dos Elfos" não sabia absolutamente nada acerca deste, nem a sinopse tinha lido… De férias e sem nada para ler pedi-lhes um livro, tendo surgido logo de seguida 4 ou 5 à escolha! Escolhi este apenas pela capa e pelo título (já que sou uma fã incondicional do Fantástico!). Comecei de imediato a lê-lo e, apesar de ser claramente um livro para adolescentes, ao fim de dois capítulos já me tinha prendido. Com uma escrita bastante fluida e acessível, Aprilynne Pike encanta-nos com a história fantástica duma rapariga de 15 anos, em muito igual a tantas outras e, ao mesmo tempo, tão diferente de tudo o que conhece. Depressa vamos tomando consciência do mundo mágico a que pertence, deixando-nos envolver pelas atribulações e descobertas desta jovem.

O que apreciei mais neste livro foi o facto de não se tornar demasiado previsível e óbvio, conseguindo manter um certo suspense até ao fim. Quando julgamos saber o que vem a seguir, logo uma reviravolta surge que nos mantém “agarrados”! Penso, também, que a autora foi bem sucedida na sua tentativa de unir factos históricos com a fantasia, mantendo a coerência do texto.

Embora se trate de um livro juvenil, julgo que os fãs do fantástico não ficarão desiludidos com este livro. Fico, então, a aguardar pelo próximo livro!»

in Páginas Desfolhadas